Na sua região: Ashburn - Virginia temos (℃) Umid(%) Veloc.Vento(m/s °) | Sol: nasc 21:00h e pôr 21:00h | 31/08/2016 12:58
Utilize a busca abaixo para encontrar uma empresa pelo nome, setor ou produto.
Em todo o País, Aguarde, carregando...
    Ex.: coaching, ou transporte, ou madeira, ou aço, ou o nome da empresa como: Mais Sucesso e Genoma, ou mesmo o nome do profissional como Cristiane.

Simples Internacional: Argentina será o primeiro parceiro do Brasil


Postado em 31/08/2016

Sebrae Nacional -

Futuro embaixador do Brasil na Argentina, Srgio Danese, reuniu-se com o presidente do SebraeBrasília - O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, esteve reunido, na tarde dessa terça-feira (30), com o futuro embaixador do Brasil na Argentina, Sérgio Danese, para tratar da criação do Simples Internacional, que permitirá a ampliação das exportações de micro e pequenas empresas brasileiras, o aumento do intercâmbio comercial e a redução de custos e de tempo das operações. A intenção é que o primeiro país parceiro nesse projeto seja a Argentina.

“A globalização ainda não chegou nos pequenos negócios. Eles têm uma enorme barreira de custos de exportações que são intransponíveis. O Simples Internacional irá derrubar essas barreiras. Queremos começar pela Argentina. Somos países com economias complementares”, afirmou o presidente do Sebrae. Ele ressaltou que exportar para a Argentina deve ser tão fácil quanto vender para um estado brasileiro e que o Simples Internacional permitirá isso.

O futuro embaixador Sérgio Danese destacou que a adoção do Sistema de Moeda Local (SML) será um importante mecanismo para derrubar as barreiras que dificultam as exportações e que esse deve ser um dos pilares desse sistema. De acordo com ele, o Sebrae terá um importante papel na divulgação desse sistema. “O Sebrae tem uma capilaridade que pouca gente tem. Para o pequeno, essa pode ser a chave para ele resolver os problemas que têm para exportar”, disse. 

O SML é um sistema de pagamentos que permite que remetentes e destinatários, nos países que integram o sistema, façam e recebam pagamentos de transações comerciais em suas respectivas moedas. O Sistema já pode ser utilizado para operações comerciais realizadas entre o Brasil e a Argentina, por exemplo. 

O Simples Internacional quer simplificar todos os procedimentos necessários para exportar, sejam eles burocráticos, tarifários, logísticos e de meio de pagamentos. Ele será o responsável por realizar toda a tramitação burocrática para a exportação do pequeno empresário, como licenciamento, despacho aduaneiro, consolidação de carga, seguro, câmbio, transporte e armazenagem. 

Mais informações
Assessoria de Imprensa Sebrae
Mais informações:
(61) 3243-7851
(61) 2104-2770/2771
imprensa@sebrae.com.br 


Crescimento do setor de eventos cria oportunidades de negócio


Postado em 30/08/2016

Sebrae Nacional -

Vitória - Mesmo diante da crise econômica é possível identificar oportunidades. Basta estudar o mercado para perceber que o setor de eventos no Brasil vem crescendo nos últimos anos, gerando oportunidades de negócios para os ramos inseridos nesse mercado. A Associação Brasileira de Empresas de Eventos (Abeoc) aponta que o mercado de eventos cresce, em média, 14% ao ano. Um exemplo é o serviço de bufê, que está cada vez mais especializado e requisitado para diversas ocasiões.

A preocupação com a alimentação também abre espaço para a atuação com nichos específicos, o que gera oportunidades para os empreendedores do ramo de fornecimento de alimentos. O Sebrae no Espírito Santo orienta os empreendedores do ramo para que possam se destacar em tempos de desafios econômicos.

De acordo com o superintendente do Sebrae no estado, José Eugênio Viera, a segmentação é uma demanda cada vez maior por parte dos consumidores. “As demandas variam. Hoje, podemos ver a ascensão dos ramos de alimentação integral, orgânica e vegana. Além disso, há o público com restrições alimentares, o que gera oportunidade para os produtos sem glúten e lactose. Os empreendedores precisam estar atentos e diferenciar a oferta”, explica.

É igualmente importante que os profissionais do segmento estejam atentos à organização do negócio. “Um exemplo é a escolha do cardápio. Também ficar atento aos tipos de eventos com os quais se deseja atuar, dando enfoque ao público e à maneira de servir”, complementa José Eugênio.

Seminários, workshops, congressos, encontros, palestras, personal chef, eventos corporativos, aniversários e casamentos são exemplos de eventos que utilizam a contratação do serviço de bufê. Por isso, para se destacar no mercado é aconselhável que a empresa priorize os eventos em que atua com melhor desenvoltura, para fortalecer a marca e o marketing boca a boca.

Lucia Helena Ferreira Lopes está no ramo de prestação de serviços de bufê há 20 anos e procura fidelizar seus fregueses. “Trabalho há tanto tempo no segmento que já cheguei a realizar a festa de 15 e 25 anos de uma cliente. Procuro sempre oferecer opções diversificadas. Além disso, trabalho com produtos personalizados para atender ao gosto de cada um. Atualmente, iniciei o trabalho a domicílio, onde preparo comidas congeladas para facilitar a vida de quem não possui tempo para cozinhar”, conta.

 

Iinformações para a Imprensa
Assessoria de Comunicação Sebrae/ES
Karla Monteiro / Sayonara Lacerda
Larissa Agnez / Jordana Estevão
Tel: (27) 3198-8410 / 3041-5613 
E-mail: sayonara.lacerda@es.sebrae.com.br
karla.fonseca@es.sebrae.com.br 
www.es.agenciasebrae.com.br
Twitter: @sebraees
www.facebook.com.br/SebraeES

Informações para empreendedores
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800
contato@es.sebrae.com.br


Startups receberão mais investimentos com Crescer Sem Medo


Postado em 29/08/2016

Sebrae Nacional -

São Paulo - O presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, destacou nesta segunda-feira (29) a importância da aprovação do Crescer Sem Medo para estimular os investimentos e o desenvolvimento das startups no Brasil. O projeto tem um capítulo especial que regulamenta a figura do investidor-anjo. Afif participou da assinatura do convênio de Cooperação Técnica entre o Sebrae e o Ministério do Desenvolvimento Indústria e Comércio (MDIC), que vai ampliar a participação da instituição no programa InovAtiva Brasil, destinado ao desenvolvimento de startups.

A cerimônia ocorreu na Escola de Negócios do Sebrae em São Paulo, onde foi realizado desde sábado (27) o encerramento do primeiro ciclo de atividades do InovAtiva Brasil do ano. O evento teve mentoria, treinamento e conexão das empresas com investidores e clientes. Foram selecionadas 125 startups para a etapa final do programa, quando os participantes têm a oportunidade de apresentar seus projetos a potenciais clientes, investidores e parceiros durante o Demoday, realizado na segunda (29), no entanto, somente 119 compareceram. 

O presidente do Sebrae ressaltou que o capítulo do projeto sobre os investidores-anjos trata exatamente do momento vivido pelos participantes do InovAtiva Brasil, que estão em busca de investidores. “Nós sabemos que, quando há um aporte de capital de um investidor-anjo, a empresa perde a condição de estar no Simples. Ela já começa no complicado. Em um ambiente assim, com certeza o Steve Jobs não existiria no Brasil. Ele seria exterminado no nascedouro”, afirmou Afif.

De acordo com o Crescer Sem Medo, a empresa continuará no Simples mesmo que receba um aporte de capital. E o projeto desvincula do investidor o risco da administração do negócio. “Essa separação é fundamental, já que são criados passivos trabalhistas que são impossíveis de pagar. Ajudará a unir o ímpeto de quem vai investir com o das startups que estão acelerando o seu desenvolvimento para poder crescer sem medo”, ressaltou o presidente do Sebrae.

O projeto já foi aprovado pelo Senado e está para ser votado novamente na Câmara dos Deputados. Em seguida, deve ir para a sanção da Presidência da República. O ministro do Desenvolvimento Indústria e Comércio (MDIC), Marcos Pereira, elogiou o Crescer Sem Medo e diz que conversará com a bancada do PRB – partido do qual é presidente licenciado – para que se mobilize na Câmara a fim de aprovar o projeto.

Mais informações
Assessoria de Imprensa Sebrae
Mais informações:
(61) 3243-7851
(61) 2104-2770/2771
imprensa@sebrae.com.br 



Polícia Federal deflagra operação contra tráfico de drogas em sete estados


Postado em 31/08/2016

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (31) a Operação Minotauro. A meta é desarticular organizações criminosas em Pernambuco, Paraná e Mato Grosso do Sul relacionadas a esquema de tráfico transnacional de maconha e cocaína, além de contrabando de armas de fogo de uso restrito.

Segundo nota divulgada pela PF, desde a madrugada de hoje, 130 policiais federais cumprem 12 mandados de prisão: cinco no Paraná, três em Pernambuco, um no Mato Grosso do Sul, um na Paraíba e dois na Bahia. Duas pessoas estão foragidas.

Outros 21 mandados de busca e apreensão são distribuídos em cinco estados: Pernambuco, Paraná, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Santa Catarina. Os mandados foram expedidos pela 13ª Vara Federal.

Sequestro de bens e bloqueio de contas bancárias também foram determinados pela 13ª Vara Federal, além de quatro conduções coercitivas destinadas a pessoas supostamente relacionadas a processo de lavagem de dinheiro, entre elas, titulares de contas bancárias de pessoas físicas e jurídicas com expressiva movimentação financeira.

Até o momento, nove mandados de prisão já foram cumpridos. Também foi realizada a apreensão de duas caminhonetes S-10, um Jeta, uma Land Rover, um Gol, uma Hilux, um Ônix e uma motocicleta Honda Hornet CB600. 

Os presos, após os indiciamentos e interrogatórios, serão apresentados à Justiça Federal para audiência de custódia e, em seguida, serão submetidos a exame de corpo de delito e encaminhados para o Cotel (Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna).

Os investigados presos em outros estados serão interrogados na unidade da Polícia Federal e transferidos para Pernambuco.

Origem das investigações

As investigações começaram em 2015 com a identificação de 1.257 kg de maconha de origem paraguaia. A droga foi enviada a Pernambuco pela organização estabelecida no Paraná. Segundo a PF, o fornecimento de drogas e armas de fogo era promovido mediante pagamento em espécie, depósitos bancários e doação de automóveis.

Nas investigações, foram apreendidas aproximadamente quatro toneladas de drogas das organizações criminosas investigadas, conforme informou a Polícia Federal. As apreensões ocorreram em Minas Gerais, Alagoas, Pernambuco e no Paraná.


Em depoimento à CPI da merenda, funcionário nega envolvimento em fraude


Postado em 31/08/2016

O funcionário César Augusto Lopes Bertholino, da Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar (Coaf), prestou depoimento hoje (31) à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura fraudes na merenda escolar em São Paulo, e negou participação em esquema de desvios no fornecimento de alimentos para escolas estaduais. Outra testemunha convocada, o promotor de Justiça de Brodowski, Leonardo Leonel Romanelli, enviou uma justificativa e adiou a participação para 14 de setembro.

Bertholino informou à CPI que trabalhava diretamente nas vendas da cooperativa, desde a sua admissão, em setembro de 2013, com registro na carteira de trabalho até janeiro deste ano, quando foi iniciada a Operação Alba Branca, que investiga fraudes na compra de alimentos para merendas de prefeituras e do governo do estado de São Paulo.

Ele disse que recebia um salário fixo de R$ 3 mil, além de comissão referente às vendas que concretizava, que variava entre 8 e 10 mil mensais. César trabalhava com as prefeituras de Mogi das Cruzes, Pitangueiras, Cotia, Ribeirão Pires, Mairinque, Mairiporã, entre outras. Segundo ele, os contratos com o varejo da Coaf eram pequenos, assim, a cooperativa dependia das licitações com o governo estadual.

O funcionário negou qualquer participação ou conhecimento sobre fraudes nos contratos ligados às prefeituras em que trabalhou. Porém, ele admitiu ter ouvido falar sobre possíveis atos ilícitos dentro da cooperativa. “A compra não era a minha área lá dentro. Tinha indícios, mas eu não sei, porque não era eu quem comprava o suco de laranja”, disse ele.

Bertholino disse que Cássio Chebabi, suspeito de chefiar a máfia da merenda, era quem comandava as transações. Cássio foi convocado pela CPI no último dia 24, mas se negou a depor por ter fechado acordo de delação premiada com o Ministério Público em janeiro deste ano, o que o impede falar. César disse que Cássio exercia a função de chefe, mas também comandava a cooperativa, sem dar voz ativa aos outros membros.

Ligação com lobista

O funcionário relatou um repasse de valores que efetuou para a conta do lobista Marcel Ferreira Júlio, considerado um dos mentores do esquema de fraude em licitações. De acordo com Bertholino, na época em que estourou a operação, a polícia ouviu, por meio de escuta, que os dois se encontrariam em Cotia, Grande São Paulo. A polícia abordou César, em seu carro, e encontrou a quantia de R$ 120 mil.

“Eu falei na hora, não escondi. Era dinheiro do contrato, que eu levaria para o Marcel. E tirei a minha parte da comissão. Retirei os 2% e estava repassando o restante do valor para o Marcel”, disse. Bertholino disse que, quando soube da apreensão, Marcel ficou “desesperado”. “Ele disse que tinha que cobrir cheques, precisava de R$ 15 ou 20 mil. Eu depositei o valor na conta da esposa dele, para cobrir esses cheques”, disse César.

Operação Alba Branca

Deflagrada no dia 19 de janeiro, a Operação Alba Branca investiga um esquema de fraude na compra de alimentos para merenda escolar de prefeituras e do governo paulista. Segundo o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Ribeirão Preto, as fraudes nas contratações da merenda, feitas entre 2013 e 2015, chegam a R$ 7 milhões, sendo R$ 700 mil destinados ao pagamento de propina e comissões ilícitas.

De acordo com o Gaeco, os crimes envolvem 20 municípios: Americana, Araras, Assis, Bauru, Caieiras, Campinas, Colômbia, Cotia, Mairinque, Mairiporã, Mogi das Cruzes, Novaes, Paraíso, Paulínia, Pitangueiras, Ribeirão Pires, São Bernardo do Campo, Santa Rosa de Viterbo, Santos e Valinhos.


“Nossa narrativa será, a partir de hoje, a da reconstrução nacional”, diz Aécio


Postado em 31/08/2016

Brasília - Senador Aécio Neves durante a defesa da presidenta afastada Dilma Rousseff em sessão de julgamento do impeachment, no Senado (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Brasília - Senador Aécio Neves durante sessão de julgamento do impeachment, no Senado Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), disse hoje (31), pouco antes do início do sexto e conclusivo dia de julgamento final do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff no Senado, que o afastamento definitivo da petista deve ser aprovado por um número de votos que varia entre 59 e 61. Segundo ele, o governo que deverá ser assumido pelo presidente interino Michel Temer será de “reconstrução nacional”.

“A nossa narrativa será, a partir de hoje, a da reconstrução nacional. Estive agora com o presidente Michel Temer e ele está determinado a hoje ainda dizer ao país qual é a situação real que ele herdou, essa verdadeira herança maldita na qual os governos do PT mergulharam o país. Ele também vai dizer sobre a agenda do futuro, quais são as propostas que este ano ainda nós podemos votar. Nós, do PSDB, estaremos ao lado deste programa, desse projeto de reformas, e não de um projeto eleitoral do PMDB”, afirmou Aécio.

>> Acompanhe a votação final do impeachment de Dilma

Para o senador, Dilma deve ser afastada com até 61 votos. “Acredito que essa votação estará entre 59 a 61 votos favoráveis ao afastamento definitivo da presidente por uma razão óbvia: não houve nenhum fato novo, não houve nada substantivo que pudesse efetivamente alterar o voto daqueles que se manifestaram a favor do afastamento da presidente Dilma. A conta chegou”, afirmou Aécio, candidato derrotado por Dilma na eleição presidencial de 2014 e um dos mais ferrenhos defesores do impeachment.

Destaque

Os aliados de Dilma apresentaram pedido para votar em separado a destituição do mandato e a inabilitação para o serviço público. “O entendimento da defesa e o nosso também é de que é uma pena totalmente desproporcional às acusações que são imputadas à presidente. Queremos fazer esse destaque para votar em separado essas duas coisas”, disse o senador líder do PT, senador Humberto Costa (PE).

A intenção de separar as votações é resguardar Dilma, uma vez que, da forma como está escrita a acusação, ela ficaria impossibilitada até de dar aula em universidades públicas ou de ocupar qualquer cargo na esfera pública.