Na sua região: Ashburn - Virginia temos (℃) Umid(%) Veloc.Vento(m/s °) | Sol: nasc 21:00h e pôr 21:00h | 23/10/2017 18:25
Utilize a busca abaixo para encontrar uma empresa pelo nome, setor ou produto.
Em todo o País, Aguarde, carregando...
    Ex.: coaching, ou transporte, ou madeira, ou aço, ou o nome da empresa como: Mais Sucesso e Genoma, ou mesmo o nome do profissional como Cristiane.

Diretor do Sebrae Nacional visita a Feira do Empreendedor de Alagoas


Postado em 23/10/2017

Sebrae Nacional -

Diretor do Sebrae Nacional (centro) visita Feira do Empreendedor de Alagoas.Maceió - O diretor de Administração e Finanças do Sebrae Nacional, Vinícius Lages, esteve em Maceió (AL), no dia 20, para visitar a Feira do Empreendedor de Alagoas. Ele andou pelos corredores, conheceu os espaços temáticos e conversou com alguns empreendedores e expositores. Acompanhado dos diretores do Sebrae em Alagoas, ele também assistiu à palestra magna Negócios Sociais, de Ricardo Henriques, superintendente executivo do Instituto Unibanco. 

Um dos primeiros espaços visitados por Vinícius Lages foi o Sebraelab, onde conversou com empresários da Tecnologia e Informação, empreendedores de startups e aqueles em fase de ideação, como a estudante do Instituto Federal de Alagoas (IFAL) Gesyca Santos, que, no primeiro dia de Feira do Empreendedor, venceu com sua equipe o Desafio Em Ação 2017, com a startup Chabot. Logo na saída, o diretor encontrou o empresário Wilson Fonseca, da Galeria Destak Magazine, empresa de Marechal Deodoro vencedora de vários prêmios estaduais e nacionais, entre eles o Prêmio MPE Brasil. 

“O Sebrae já oferece ao longo do ano, através das áreas de atendimento, relacionamento e de seus Escritórios Regionais, essas oportunidades de encontro entre empreendedores e empresários já consolidados. A beleza aqui é que você tem espaço para gente em vários momentos: ainda na fase de ideação de um projeto, pessoas na área de negócios já estabelecidos, inclusive uma área de franquias, empreendedores da área de serviços, todos com a oportunidade de estarem juntos em um espaço de conhecimento, interagindo com especialistas”, afirmou Lages, apontando as oportunidades de parceria e networking proporcionadas na Feira. 

Outro ponto que chamou a atenção do diretor foi a presença do Centro Sebrae de Sustentabilidade, diretamente de Cuiabá (MT), fazendo a conscientização da sustentabilidade como um ideal e, ao mesmo tempo, a divulgação dos negócios sociais, com destaque para as quatro cooperativas de catadores de material reciclado presentes em Maceió. “A sustentabilidade é um tema transversal, portanto, sempre que possível, estaremos sensibilizando e engajando os empresários para que seus próprios modelos de negócios se tornem mais sustentáveis”, reforçou. 

Por fim, Vinícius Lages destacou a presença de adolescentes e até crianças na Feira como novos empreendedores, evidenciando a importância do tema escolhido para a oitava edição da Feira do Empreendedor, que é Educação empreendedora para quem se liga em negócios de futuro. “O Sebrae tem no incentivo ao empreendedorismo um dos eixos da sua missão. Nosso propósito é tornar nosso país mais empreendedor, qualificado, inovador, e é muito bom ver em Alagoas, que é meu estado querido, a participação de todos os públicos. É o sinal de que podemos ter uma Alagoas mais empreendedora, avançando de maneira mais qualificada”, disse o diretor.

A Feira do Empreendedor é uma realização do Sebrae em Alagoas, com o patrocínio do Governo do Estado, Prefeitura Municipal de Maceió, Portal UOL, Centro Universitário Tiradentes (Unit), Veloo Telecom, Banco do Nordeste, Banco do Brasil e Qualitek, com apoio do Facebook, Ibramerc, Applicando, Hand Talk e OpineNow. 

Seviço:
Assessoria de Imprensa
Marcela Sampaio
(82) 4009-1658
marcela.sampaio@al.sebrae.com.br


Lei Geral concede tratamento diferenciado a pequenos negócios


Postado em 17/10/2017

Sebrae Nacional -

Brasília - A Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei Complementar 123/2006) foi criada para regulamentar o tratamento diferenciado que deve ser dado às micro e pequenas empresas, previsto na Constituição.  Entre os benefícios da norma, que completou dez anos em 2016, estão a criação da figura jurídica do Microempreendedor Individual (MEI) e do Simples Nacional, um regime tributário específico para o segmento com redução da carga de impostos e simplificação dos processos de cálculo e recolhimento, e o estímulo à participação nas compras governamentais. 

“Depois que a lei entrou em vigor, a vida do pequeno empresário melhorou muito. Ela diminuiu a burocracia e a carga tributária e estimulou o crescimento desse segmento que é o que mais gera empregos no Brasil”, destaca o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos. A Lei Geral já passou por seis alterações que permitiram novos avanços. “Essa é uma lei viva e sempre procuramos atualizá-la e melhorá-la. Nossa luta atual é pela criação das Empresas Simples de Crédito (ESC)”, ressalta. 

As ESC irão facilitar o acesso ao crédito para o segmento e ampliar a oferta para os empreendimentos de MPE. Por meio dessa nova atividade empresarial, o cidadão na sua comunidade poderá emprestar o dinheiro dele para atividade produtiva local.  Outro importante marco trazido pela Lei Geral foi o tratamento diferenciado nas compras públicas. A norma determina a exclusividade das micro e pequenas empresas nas licitações governamentais até R$ 80 mil. Ela também prevê que os órgãos governamentais podem pagar até 10% acima do melhor preço por produtos e serviços que são oferecidos por empresas locais, e estabelece que nos certames de bens de natureza divisível torna-se obrigatória a divisão em lotes de 25%  exclusivos para as empresas de pequeno porte. Além dos donos de micro e pequenas empresas e dos microempreendedores individuais, produtores rurais e agricultores familiares também são beneficiados. 

Veja abaixo as principais alterações na Lei desde que ela foi criada: 

2006 – Aprovação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa e criação do Simples Nacional. 

2007 – Inclusão de novas categorias do setor de serviços no Simples Nacional. 

2008 – Criação do Microempreendedor Individual. 

2009 –  Inclusão do setor cultural no Simples Nacional. 

2011 – Correção dos tetos do Simples Nacional, incentivo para exportação e criação do parcelamento de débitos. 

2014 – Universalização do Simples Nacional. 

2016 – Aumento do teto do Simples para R$4,8 milhões, progressividade nas alíquotas, regulamentação do investidor anjo e inclusão de empresas de produção de bebidas artesanais no Simples. 

SEBRAE 45 ANOS 

O Sebrae comemora este ano quatro décadas e meia de atuação em defesa dos pequenos negócios. As micro e pequenas empresas representam 98,5/% do total de empreendedores no Brasil, respondem por 27% do PIB nacional e geram mais da metade dos empregos no país. Formalização, inovação, redução da burocracia, ampliação do acesso ao crédito e melhoria do ambiente legal fazem parte do compromisso do Sebrae com os pequenos negócios. Conheça no portal Sebrae os números e a história do empreendedorismo no Brasil: https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae

Mais informações:

Assessoria de Imprensa Sebrae

(61) 2107-9117/9118

imprensa@sebrae.com.br


Para empreendedores

Central de Relacionamento Sebrae

0800 570 0800 


Sebrae lança página sobre a nova Lei Trabalhista


Postado em 17/10/2017

Sebrae Nacional -

Brasília - Os donos de pequenos negócios têm um espaço especial para ficar por dentro da nova Lei Trabalhista e conseguir adaptar a empresa às novas regras que começam a valer a partir de novembro. O Sebrae reuniu um conjunto de conteúdos para orientar os empresários sobre as mudanças na legislação. O material pode ser consultado neste link: http://bit.ly/2wW7hdJ.

“Como já existem muitos conteúdos tratando das alterações sob o viés das grandes empresas, notamos que era necessário fazer um trabalho específico de esclarecimento para quem é responsável por um pequeno negócio é que são maioria na economia brasileira”, afirma a diretora técnica e presidente em exercício do Sebrae, Heloisa Menezes. 

Quem acessar a página poderá consultar infográficos, tira-dúvidas, publicações e e-books. A ideia é que empregadores e empregados entendam bem as mudanças, sejam em contratos novos ou naqueles já firmados.

Veja o que muda:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais informações:

Assessoria de Imprensa Sebrae

(61) 2107-9117/9118

imprensa@sebrae.com.br


Para empreendedores

Central de Relacionamento Sebrae

0800 570 0800

 

 



Cultura aprova captação de recursos para Mês da Diversidade no Rio


Postado em 23/10/2017

O Ministério da Cultura publicou no Diário Oficial da União (DOU) da última sexta-feira (20) a aprovação de projeto de captação da produtora Four X Entertainment para angariar recursos para as paradas LGBT cariocas e eventos ligados ao Mês da Diversidade, decretado pela Prefeitura do Rio de Janeiro. O valor aprovado é de R$ 1.372.625 e o prazo para captação via Lei Rouanet é até 31 de dezembro de 2017.

Segundo informou hoje (23) a Coordenadoria Especial de Diversidade Sexual da Prefeitura do Rio, o patrocínio foi obtido após negociação com empresas como a Ambev e a Uber. O órgão buscou mais de 20 empresas ao longo ano para viabilizar a parceria. O coordenador Nélio Georgini foi a Brasília em agosto para tratar do assunto com o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão.

A diretora da Four X Entertainment, Libia Miranda, disse que, depois da publicação no Diário Oficial, o próximo passo é a confirmação dos repasses por parte das empresas, o que precisa ocorrer dentro de uma semana, a tempo de ser aprovado pela Comissão Nacional de Incentivo à Cultura (Cnic).

Parte dos recursos deve ser destinada à Parada LGBT de Copacabana, em 19 de novembro, e também para a de Madureira, em 26 de novembro. Ambas já tiveram que ser adiadas por causa da falta de verba. Também está em estudo o apoio financeiro à Parada LGBT da Rocinha.

Outra atração que deve receber recursos, de acordo com publicação no DOU, na da última sexta-feira (20), é o evento de música Diversifest, que será realizado no Sambódromo, em data ainda não definida. O festival chegou a ser marcado para 1º de outubro, mas foi adiado.


Parlamentares apresentam mais de 8 mil emendas ao orçamento de 2018


Postado em 23/10/2017

A Comissão Mista do Orçamento recebeu até a última sexta-feira (20) 8.262 emendas à proposta orçamentária do próximo ano. As emendas apresentadas pelos parlamentares totalizam R$ 108,5 bilhões.

Foram apresentadas 639 emendas coletivas e 7.633 emendas individuais, estas últimas são obrigatórias e devem ser direcionadas para obras e serviços em suas bases eleitorais, de acordo com a disponibilidade de recursos no Tesouro Nacional. Os deputados e senadores já indicaram os recursos considerando o teto dos gastos públicos.

Considerando emendas coletivas e individuais, a área da saúde foi a mais contemplada, com R$ 17,4 bilhões. Em seguida, estão transporte e educação, que somaram 24% do total dos recursos.

O prazo para apresentação das emendas encerrou na última sexta-feira. A partir de agora, as emendas devem ser analisadas por relatores das comissões responsáveis pela análise da proposta de Lei Orçamentária Anual para 2018.

A proposta orçamentária prevê a receita a ser arrecada durante o ano e fixa o valor máximo para as despesas a serem executadas. O prazo final para análise da proposta pelo Congresso Nacional é 30 de outubro.

* Com informações da Agência Câmara

 


Confiança do empresário industrial atinge maior nível em mais de quatro anos


Postado em 23/10/2017

Em alta pelo terceiro mês consecutivo, a confiança do empresário industrial atingiu, em outubro, o maior nível em mais de quatro anos. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) somou 56 pontos no último mês, no maior nível desde março de 2013 (57,1 pontos).

O indicador varia de 0 a 100 pontos. Quando estão acima de 50 pontos indicam empresários confiantes. De acordo com a CNI, este é o segundo mês consecutivo em que o índice está acima da média histórica de 54 pontos.

A confiança é mais alta nas grandes indústrias, onde o Icei de outubro atingiu 58,6 pontos. O índice somou 54,3 pontos nas médias empresas e 52,3 pontos nas pequenas indústrias. Nas expectativas para os próximos seis meses, o Icei aumentou 0,4 ponto, fechando outubro em 58,8 pontos. De acordo com a CNI, a tendência é que o indicador repita o desempeno nos próximos meses.

Formado pelas avaliações dos empresários em relação às condições atuais e futuras das empresas e da economia, o Icei, segundo a confederação, antecipa tendências de investimento na indústria. Para a CNI, o aumento do otimismo indica que os empresários estão mais dispostos a investir, criando empregos e contribuindo para a retomada do crescimento econômico.

Feita entre 2 e 17 de outubro, a pesquisa ouviu 3.097 empresários industriais em todo o país. Desse total, 1.208 são empresas pequenas, 1.175 são médias, e 714 são de grande porte.