Na sua região: Ashburn - Virginia temos (℃) Umid(%) Veloc.Vento(m/s °) | Sol: nasc 21:00h e pôr 21:00h | 06/02/2016 04:53
Utilize a busca abaixo para encontrar uma empresa pelo nome, setor ou produto.
Em todo o País, Aguarde, carregando...
    Ex.: coaching, ou transporte, ou madeira, ou aço, ou o nome da empresa como: Mais Sucesso e Genoma, ou mesmo o nome do profissional como Cristiane.

Feira do Empreendedor deve gerar R$ 8 milhões em negócios


Postado em 05/02/2016

Sebrae Nacional -

São Paulo - A Feira do Empreendedor de São Paulo, que acontece de 20 a 23 de fevereiro, deve movimentar um montante de aproximadamente R$ 8 milhões. O Sebrae em São Paulo projeta um aumento no número de participantes de 20% - aproximadamente 120 mil pessoas devem passar por lá durante os quatro dias de evento, que será realizado na capital.

“A Feira do Empreendedor é uma excelente vitrine para os expositores e para quem quer empreender, seja por oportunidade ou por necessidade, como no momento atual de crise econômica. O visitante poderá encontrar soluções de negócios em todos os segmentos, como franquias, negócios on line, máquinas e equipamentos, entre outros”, afirma o diretor-superintendente do Sebrae no estado, Bruno Caetano                                                                      
O evento é importante para quem quer fazer contatos, além de oferecer serviços, novos produtos e soluções para melhorar a empresa. Os participantes poderão ter acesso a palestras e consultorias, que vão abranger temas como marketing, finanças, tendências, inovação, exportação, entre outros.

Em um espaço de 30 mil metros quadrados estarão presentes mais de 400 expositores, incluindo franquias, negócios on line, máquinas e equipamentos, representação comercial porta a porta e serviços.

Para os participantes em geral, a entrada é gratuita e as inscrições devem ser feitas pelo link: http://feiradoempreendedor.sebraesp.com.br/. Vale lembrar que é proibida a entrada de menores de 14 anos.

Assessoria de Imprensa:
Marcelle
(11)3177-4905/4822
marcelleac@sp.sebrae.com.br


Delivery de comida caseira pode virar franquia em Goiânia


Postado em 04/02/2016

Sebrae Nacional -

Goiânia - As famílias brasileiras têm boas histórias culinárias pra contar. E algumas transformam receitas caseiras em negócios promissores. Um exemplo de empreendedorismo nesse setor é o da empresária Eliete Aquino, de 43 anos, que investiu na receita da mãe para construir um empreendimento que promete oferecer ao cliente “sabores aprovados pela família”. E o consumidor nem precisa sem sair casa. “Vai receber a comida prontinha e quentinha”, garante. Para isso, Eliete acaba de inaugurar a loja Panelinha Express, em Goiânia, com 20 receitas no cardápio.

As receitas das panelinhas, segundo Eliete, têm como base a mistura do arroz com carnes e levam apenas 15 minutos para ficarem prontas. A empresária conta que toda a família acreditou no sucesso da empresa e que o negócio eterniza o jeito da mãe cozinhar. “Papai ajuda muito, pois ele auxiliava nossa mãe, já falecida, na cozinha”, lembra. 

A filha de Eliete, Poliana de Aquino, de 23 anos, relata que a Panelinha Express já possui aproximadamente mil unidades de panelas de alumínio em domicílios da cidade, que servem como um refil para novos pedidos. “As panelinhas também podem ser servidas em embalagens descartáveis, de três tamanhos: 300g (uma pessoa), 400g (duas pessoas) ou 600g (três pessoas)”, explica.

Eliete destaca que 90% do atendimento é realizado pelo sistema delivery, sendo que o movimento é menor diretamente na loja. Aliás, a estrutura montada no Setor Negrão de Lima dever servir de modelo para expansão da marca. “Estamos estudando uma oportunidade de franquia da Panelinha Express”, afirma.

A empreendedora recebe atendimento do Sebrae em Goiás, segundo Paulo Renato Fava Adorno, gestor do Projeto de Franquia. “Inicialmente, estamos realizando um diagnóstico sobre a viabilidade de desenvolver a franquia para a Panelinha Express”, observa. Eliete observa que despertou seu interesse pelo modelo de franquia depois de participar do curso Entendendo Franchising, promovido pelo Sebrae. “Creio que investir na franquia para expandir marca dá mais garantia de manter a qualidade das nossas receitas”, considera.

Serviço:
Panelinha Express
Projeto de Franquia do Sebrae Goiás
Regional Metropolitana do Sebrae Goiás: 
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800

Informações para a imprensa:
Oficina de Comunicação: (62) 3225.4899
Agência Sebrae de Notícias (ASN Goiás): (62) 3250-2268


Fazenda de turismo rural investe na própria marca de chocolate


Postado em 02/02/2016

Sebrae Nacional -

Ilhéus - O casal Gerson Marques e Dadá Galdino é proprietário da Fazenda Yrerê, na zona rural de Ilhéus, no Sul da Bahia. Integrada ao projeto do Sebrae Indústria Setorial Ilhéus - Derivados de Cacau, a propriedade é um case de sucesso no segmento do Turismo Rural. Na sede, os visitantes, a maioria de estrangeiros, são recepcionados pelos donos e por trabalhadores rurais. Em três horas, conhecem a história e o funcionamento da fazenda, degustam pratos típicos, ouvem ‘causos’ locais dos antigos coronéis de cacau e ainda visitam o maior orquidário da região.

Neste mês, os empresários lançam um novo produto para agregar valor a sua produção de cacau e oferecer mais um atrativo aos turistas: uma marca própria de chocolates finos feitos com amêndoas selecionadas e teor de 54% e 70% de cacau puro. O chocolate será produzido em parceria com o Instituto Cabruca e as primeiras unidades serão em barras de 80g e bombons de 12g.

Gerson Marques destaca que os chocolates de origem do Sul da Bahia estão ganhando reconhecimento mundial e se tornando um bom e lucrativo negócio. “Os turistas antes chegavam perguntado por novelas. Hoje, a procura é por chocolates e vamos tê-los em nossa linha de produtos”, afirma.

A nova fase dos negócios também conta com o apoio do Sebrae, segundo o empresário. “Teremos uma consultoria para desenvolvimento do produto, envolvendo aspectos administrativos, financeiros e de marketing para a evolução da marca”.

O gestor do projeto Derivados do Cacau, Eduardo Andrade, destaca ainda que os empresários da Yrerê “conhecem bem o potencial do turismo rural e vivenciam a parceria com o Sebrae de forma criativa”.

De acordo com Dadá Galdino, “a nossa proposta é oferecer aos visitantes uma experiência única, provocando e estimulando seus sentidos, através da visão, paladar, olfato e audição em uma viagem diferente, uma experiência que vale para a vida inteira”.

Derivados de cacau

O projeto Indústria Setorial Ilhéus - Derivados de Cacau atende a 40 micro e pequenas empresas do Sul da Bahia com ações subsidiadas em até 80% para suporte de gestão, tecnologia e mercado. O planejamento até 2018 apresentará, entre outros resultados, uma receita acumulada de R$ 1,8 milhão envolvendo os pequenos negócios na região.

Os interessados em conhecer mais sobre o projeto podem procurar o ponto de atendimento do Sebrae em Ilhéus, na Praça José Marcelino, nº 100, Centro, ou pelo telefone (73) 3634-4068.

Mais informações:
Agência Sebrae de Notícias Bahia
(71) 3320-4558 / 3042-3880 / 99222-1612 / 98263-0835
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
www.ba.agenciasebrae.com.br
www.twitter.com/sebraebahia
www.facebook.com/sebraebahia



Pérola Negra abre desfile das escolas de samba de São Paulo


Postado em 05/02/2016

A Escola de Samba Pérola Negra abriu, por volta das 23h45, o desfile de carnaval de São Paulo no Sambódromo do Anhembi, zona norte da capital paulista. Apesar da chuva que atingiu a capital paulista no início da noite, há boa presença de expectadores. No entanto, o sambódromo não está lotado e há lugares vagos nas mesas, que ficam ao lado da pista de desfile, e nas arquibancadas. A pista onde ocorre o desfile ainda está molhada, apesar de não estar mais chovendo.

“Quem gosta de carnaval enfrenta qualquer coisa. Quando as escolas entram a gente esquece a chuva bem rápido”, disse Lucas Cavalho, que estava na fila da bilheteria para comprar ingressos para sua família.

Por volta das 23 h, um pequeno apagão atingiu por cerca de cinco minutos o sambódromo. Uma parte dos refletores foi apagada e também a sala de imprensa. No entanto, os holofotes principais, que iluminam a pista por onde passam as escolas de samba, permaneceram acesos. Devido à falta de energia, o desfile, previsto para iniciar às 23h15, começou atrasado. Nesta madrugada desfilam sete das 14 escolas de samba do grupo especial de São Paulo.

De acordo com a Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, mais de 90% dos ingressos para assistir aos desfiles foram vendidos. A estimativa da São Paulo Turismo (SPTuris) é que cerca de 30 mil pessoas compareçam ao sambódromo em cada dia de festa. Para assistir aos desfiles do Grupo Especial os valores dos ingressos individuais variam de R$ 90 a R$ 550. Para o Grupo de Acesso, de R$ 30 a R$ 60. Para o desfile das campeãs, que ocorre na próxima sexta-feira (12), de R$ 70 a R$ 280.

A Pérola Negra leva para a passarela a história do seu local de origem, a Vila Madalena, bairro boêmio da zona oeste. Com o samba-enredo Do Canindé ao Samba no Pé. A Vila Madalena nos Passos do Balé, a agremiação conta a história de índios e negros que, fugidos da escravidão, refugiaram-se na região. As alas e o enredo se desenvolvem até os tempos recentes, quando o bairro passou a ser ocupado por intelectuais e artistas.

Após a Pérola Negra, desfila a Unidos de Vila Maria, com o tema Índios, Piratas e Navegantes. Elaborado pelo carnavalesco Alexandre Louzada, o tema conta a história de Ilhabela, destino turístico do litoral paulista. Lendas, mistérios e sedução é um dos versos que dão o tom do enredo que a escola levará à avenida.

Em seguida, entra a escola Águia de Ouro. Ave Maria Cheia de Faces é o tema do enredo do terceiro desfile do primeiro dia do carnaval paulistano. Mais do que uma ode à mãe de Jesus Cristo, os carnavalescos Douglinhas, Juca, Izanzinho, Cuca e Pelezinho tratam dos sentimentos da feminilidade e maternidade.

A previsão é que a última escola a desfilar na madrugada desse sábado, a Acadêmicos do Tatuapé, entre na avenida por volta das 6 h. O desfile das escolas de samba de São Paulo continua amanhã, com a participação de mais 7 escolas.


Olodum abre o Circuito do Batatinha em Salvador


Postado em 05/02/2016

O tradicional grupo de percussão, Olodum, abriu o circuito oficial da Batatinha, no Pelourinho, em Salvador, nesta sexta-feira (05). Os músicos se apresentaram pela primeira fez na folia deste ano, com o tema “Brasil, mostra tua cara! Sou Olodum, quem tu és?”

Sidney Santos é um dos percussionistas do Olodum e está há 17 anos no grupo. Para ele, é gratificante ver o sorriso e a animação dos visitantes.

“A gente está desenvolvendo um trabalho e vê que está alegrando e contagiando. A gente acaba sendo contagiado também. A preparação é durante o ano todo, quando temos vários ensaios, mas o foco é no verão, quando ensaiamos exatamente para o carnaval. Compensa muito!”, comemora o músico.

Sidney é um dos 200 percussionistas que saíram do prédio da escola do Olodum e seguiram para o Terreiro de Jesus, também no Centro Histórico da cidade.

Olodum abre carnaval de Salvador

Grupo Olodum esquenta os tambores na concentraçãoSayonara Moreno/Agência Brasil

O Presidente do Olodum, João Jorge Rodrigues, disse que os batuques representam o coração do Brasil moderno. “Onde o país começou, o Olodum do Brasil, da Bahia, o Olodum da percussão, da igualdade, das cores, do africanismo. Um sonho realizado. Mais um carnaval! Um momento ímpar, no Brasil”.

Turistas de todo o Brasil e de outras partes do mundo não ficaram parados com os batuques afro, tradicionais no carnaval de Salvador. Como é o caso da foliã Magali Neitzel, da Espanha, que esforçou no português, e disse que esteve “no circuito da Barra, mas nada é tão original como o Pelourinho”.

Outra foliã, Daniele Queiroz, veio de Rio Branco (Acre), pela primeira vez e comentou que estava curtindo a folia em vários circuitos, mas no Pelourinho, aproveitou para conhecer o Olodum e os principais pontos do Centro Histórico de Salvador.

À noite, o cortejo também desfilou no percurso Osmar, no Campo Grande, no movimento carnavalesco Furdunço.


 


Acadêmicos da Rocinha abre desfiles da Série A na Marquês de Sapucaí


Postado em 05/02/2016

Rio de Janeiro - Mestre-sala Yuri Perroni e porta-bandeira Thainá Teixeira (Cristina Índio do Brasil/Agência Brasil)

Mestre-sala Yuri Perroni e porta-bandeira Thainá Teixeira, da Acadêmicos da Rocinha. A escola foi a primeira a entrar na Marquês de Sapucaí nesta sextaCristina Índio do Brasil/Agência Brasil

O carnaval na Marquês de Sapucaí foi aberto hoje (5), com a passagem dos integrantes da Associação das Velhas Guardas das Escolas de Samba do Rio, que atravessaram a Passarela do Samba abrindo os desfiles da Série A.

Nesse primeiro dia de desfiles na Passarela do Samba vão se apresentar sete das 14 escolas da Série A, antigo Grupo de Acesso, associadas à Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Lierj), criada em 2012. Amanhã, será a vez da outra metade de agremiações, que disputarão a única vaga na ascensão ao Grupo Especial no carnaval de 2017. No ano passado a vencedora foi a Estácio de Sá, que abrirá no domingo os desfiles do Grupo Especial.

Entre as escolas da série A neste ano, 11 estiveram no grupo considerado a elite do carnaval carioca, sendo que Império Serrano (1948/49/50/51/56/60/72 e 82) e Viradouro (1997) chegaram ao campeonato.

Miscigenação

 Terra abençoada desflorando a mata virgem (Cristina Índio do Brasil/Agência Brasil)

A Academicos da Rocinha tratou da miscigenação do povo brasileiroCristina Índio do Brasil/Agência Brasil

A primeira escola a entrar na avenida foi a Acadêmicos da Rocinha, que voltou à Série A, após conquistar o título no ano passado na Série B. Com o enredo A Nova Roma é Brasil, Brasil é a Rocinha, a escola tratou da miscigenação do povo brasileiro, das suas heranças, dos seus costumes e da fé trazida pelos portugueses.

Para animar os componentes a escola postou hoje um recado no seu perfil em uma rede social . “É hoje! Chegou o grande dia da nossa superação, raça e amor por esse pavilhão. Que todos façam o seu melhor para que a nossa borboleta voe e voe muito alto nessa Sapucaí. Excelente desfile a todos!”. A borboleta é o símbolo da escola azul verde e branca de São Conrado, na zona sul do Rio.

Na concentração a aposentada Eliana Maria de Oliveira Silva, que há 20 anos está na Rocinha, desde que a escola era apenas um bloco, disse que está feliz por voltar para a Marquês de Sapucaí. "Nós viemos da Intendente [onde desfilam as escolas da Série B] e nem esquentamos chão lá. Foi uma experiência", disse.

Ogum

Na sequência dos desfiles veio a Alegria da Zona Sul, escola das comunidades Cantagalo, Pavão e Pavãozionho. A vermelho e branco de Copacabana, na zona sul do Rio, levará para a avenida o enredo Ogum. Com ele, o carnavalesco Marco Antônio Falleiros, que voltou à agremiação neste ano, vai mostrar a força do orixá guerreiro. A terceira a desfilar é a Porto da Pedra, escola de São Gonçalo, município da região metropolitana do Rio e que está na passarela neste momento. Na vermelho e branco, o carnavalesco Jaime Cezário resolveu fazer uma homenagem a um grande palhaço do Brasil: Palhaço Carequinha: Paixão e Orgulho de São Gonçalo. Tá Certo ou Não Tá?.

Logo depois será a vez da Santa Cruz , a escola da zona oeste, vai defender o meio ambiente no enredo Diz Mata! Digo Verde. A Natureza Veste a Incerteza, e o Amanhã? (O Clamor da Floresta) desenvolvido pelos carnavalescos Lucas Pinto, Lane Santana e Munir Nicolau.

Para facilitar a ida dos componentes para a avenida, a escola informou no seu site, que mais uma vez, fez um acordo com a SuperVia, concessionária de trens do Rio, que botou um trem à disposição deles, com partida na estação de Santa Cruz e apenas uma parada em Campo Grande, em direção a Estação da Central do Brasil, que fica perto da Passarela do Samba. Para a volta, o trem partirá às 2h30.

 Terra abençoada desflorando a mata virgem (Cristina Índio do Brasil/Agência Brasil)

Os desfiles da série A das escolas de Samba do Rio começam hoje na Marques de Sapucaí com a apresentação de sete agremiações Cristina Índio do Brasil/Agência Brasil


União entre os povos

Apostando na volta ao grupo especial, a Unidos do Viradouro, escola de Niterói, também na região metropolitana do Rio, vai desenvolver na avenida o enredo O Alabê de Jerusalém: A Saga de Ogundana. O enredo baseado na canção do compositor Altay Veloso, explica que Ogundana era contemporâneo a Jesus Cristo e o seu principal objetivo era “a união entre os povos através do que há em comum entre eles, independente de suas diversidades”.

No fim do texto de apresentação do enredo a escola clama: “Que os tambores ronquem por essa doce entidade que, com delicadeza, respeito e alegria, vem nos falar sobre solidariedade, tolerância, união e harmonia.

A Renascer de Jacarepaguá, outra agremiação da zona oeste, será a sexta escola na Marquês de Sapucaí e pretende levantar o campeonato com o enredo Ibejis- Nas Brincadeiras de Crianças: Os Orixás que Viraram Santos no Brasil, que vai saudar Cosme e Damião e não faltará doces nas alegorias. Vai ainda lembrar de brincadeiras como as cirandas, a cabra-cega e pede futuro para o bê-a-bá.

 Terra abençoada desflorando a mata virgem (Cristina Índio do Brasil/Agência Brasil)

O julgamento das escolas de samba será feito por 36 juradosCristina Índio do Brasil/Agência Brasil

Para fechar o primeiro dia de desfiles da Série A, estará na avenida a Império da Tijuca. O ator e diretor José Wilker será o grande homenageado com o enredo O Tempo Ruge, a Sapucaí É Grande e o Império Aplaude o Fenomenal!. A escola vai lembrar os grandes momentos da carreira do artista.

Regulamento

De acordo com o regulamento do grupo, as escolas só podem desfilar com quatro alegorias e não é permitido o uso de tripés e quadripés, que costumam ser usados pelos carnavalescos para separar setores e facilitar na apresentação do enredo. Cada agremiação tem o tempo mínimo de 45 minutos e máximo de 55 minutos para chegar até a Praça da Apoteose, setor que representa o fim da Passarela do Samba.

O julgamento será feito por 36 jurados divulgados pela Liesa e pela Empresa de Turismo do Município do Rio (Riotur), que são divididos por quatro para cada quesito. As notas podem variar entre 9 e 10 para os quesitos: samba-enredo; bateria; mestre-sala e porta-bandeira; comissão de frente; enredo; fantasias; alegorias e adereços; evolução; e harmonia.

O anúncio da campeã será feito na quarta-feira de Cinzas (10), depois da apuração das notas na Praça da Apoteose.

Ordem dos desfiles de sexta-feira (5)

21h45 – Rocinha
Entre 22h30 e 22h40 – Alegria da Zona Sul
Entre 23h15 e 23h35 – Porto da Pedra
Entre 0h e 0h30 – Santa Cruz
Entre 0h45 e 1h25 – Viradouro
Entre 1h30 e 2h20 – Renascer de Jacarepaguá
Entre 2h15 e 3h15 – Império da Tijuca

Ordem dos desfiles de sábado (6)

21h45 – União do Parque Curicica
Entre 22h30 e 22h40 – Paraíso do Tuiuti
Entre 23h15 e 23h35 – Inocentes de Belford Roxo
Entre 0h e 0h30 – Império Serrano
Entre 0h45 e 1h25 – Caprichosos de Pilares
Entre 1h30 e 2h20 – Unidos de Padre Miguel
Entre 2h15 e 3h15 – Cubango