Na região de Ashburn - Virginia temos Céu claro (11.1℃) Umid(66%) Veloc.Vento(4.96m/s 310.0°) | Sol: nasc 09:30h e pôr 20:17h | 25/10/2014 02:11
Utilize a busca abaixo para encontrar uma empresa pelo nome, setor ou produto.
Em todo o País, Aguarde, carregando...
    Ex.: coaching, ou transporte, ou madeira, ou aço, ou o nome da empresa como: Mais Sucesso e Genoma, ou mesmo o nome do profissional como Cristiane.

Divulgadas empresas vencedoras de práticas sustentáveis em Minas


Postado em 23/10/2014

Sebrae Nacional -

Belo Horizonte - As empresas Andarilho da Luz, de Belo Horizonte, Arga Vidros, de João Pinheiro, Fazenda Vista Alegre, de Manga e Trivelato Geradores, de Uberlândia foram as grandes vencedoras do 4º Prêmio Sebrae Minas de Práticas Sustentáveis.

Elas foram selecionadas entre 193 inscritas em todo o estado. O anúncio foi feito pelo diretor Superintendente do Sebrae Minas, Afonso Maria Rocha, nesta quarta-feira (22/10), em Belo Horizonte. As quatro empresas receberão capacitação em liderança e gestão avançada e terão suas práticas em sustentabilidade relatadas em uma publicação especial do Sebrae Minas, que também vai abordar as práticas de outras seis finalistas.

Criada em 2011, a premiação promovida pelo Sebrae Minas é um incentivo à inovação tecnológica e à busca de posturas e procedimentos que possam tornar as pequenas empresas mais eficientes, rentáveis e sustentáveis.

“O prêmio reconhece as iniciativas empreendedoras em sustentabilidade, com o objetivo de tornar os empresários mineiros mais conscientes e responsáveis, diminuindo o risco da escassez de recursos naturais imprescindíveis para a nossa sobrevivência”, explica o diretor de Operações do Sebrae Minas, Fábio Veras.

Nesta 4ª edição, a premiação bateu recorde de inscrições: 193. Foram 71 inscritos a mais que na edição anterior. Entre os critérios de seleção do prêmio estão empresas que estão em dia com as obrigações de licenciamento ambiental e possuem práticas diferenciadas na gestão de resíduos, recursos hídricos, eficiência energética, controle de qualidade do ar e da poluição sonora. No âmbito social, empreendimentos que investem em programas de treinamento e capacitação dos empregados, de segurança no trabalho, além de respeito à legislação trabalhista, previdenciária e fiscal.

 
PRÁTICAS PREMIADAS

Turismo de vivência

Desde 1999, a Andarilho da Luz, operadora especializada em caminhadas e viagens na natureza, realiza o programa de Turismo de Vilarejo em Capivari, Alto Jequitinhonha, entre as cidades do Serro e Diamantina. O projeto possibilita ao visitante hospedar-se na casa de moradores locais, possibilitando uma vivência de hábitos e costumes do pequeno vilarejo. A iniciativa também promove um ecoturismo sustentável e responsável, com geração de renda e melhoria da qualidade de vida dos moradores a partir do estabelecimento de parcerias, aprimoramento da gestão e infraestrutura dos empreendimentos locais e disseminação da cultura empreendedora junto à comunidade.

A empresa de Belo Horizonte participa pela primeira vez do Prêmio Sebrae Minas de Práticas Sustentáveis. Para o empresário Marcus Pavani, a premiação reforça o posicionamento da empresa no mercado. “Assumimos atitudes responsáveis, fortalecendo nossa importância na construção de um mundo melhor. A sustentabilidade não está só em nosso discurso, mas também na prática do nosso negócio”, explica.

Energia sustentável

Já a Trivelato Geradores viu na sustentabilidade uma oportunidade de negócio. A empresa de Uberlândia desenvolveu um motor para geradores que utiliza biogás proveniente de dejetos bovinos e suínos.  Esse equipamento promove a autossuficiência em energia elétrica em seu processo de produção e na propriedade, e irá, futuramente, fornecer energia elétrica para a concessionária como permuta. “A criação do maquinário surgiu da demanda, vinda da própria região que hoje possui mais de 700 produtores de suínos”, explica o proprietário da Trivelato, Carlos Trivelato.

Além disso, a empresa desenvolveu uma motobomba que capta o bio fertilizante, resíduo do biogestor, que é bombeado para as lavouras, sendo usado como adubo. O equipamento não utiliza a queima do óleo diesel, apenas a energia gerada pelo biogás. “Algumas propriedades conseguiram economizar de R$14 a R$15 mil por mês na conta de energia”, complementa.

Ambientalmente correto e economicamente viável

Para a Fazenda Vista Alegre, em Manga, no Norte de Minas a regra é reaproveitar. Seguindo a Lei de Lavoisier, segundo a qual “na natureza nada se cria, tudo se transforma”, a fazenda reutiliza a água usada na piscicultura para a irrigação, não poluindo o rio e ainda economizando na fertilização da lavoura e do pasto.

Edvaldo Alkimin, dono da fazenda ainda possui uma padaria e um laticínio. O soro gerado pelo laticínio, que antes era despejado no meio ambiente, é destinado para alimentação dos porcos, assim como as sobras da padaria, que ajudam a reduzir o custo da alimentação dos suínos. Os restos de alimentos da padaria também viram compostagem, adubo orgânico para a fertilização da horta.  A fazenda também tem um projeto, em fase final, para a utilização dos dejetos dos porcos na produção de biogás, que irá gerar energia elétrica para o laticínio. “Não há desperdiço, tudo é reaproveitado em favor do meio ambiente e dos negócios. Tudo que vem fazenda como o leite, legumes, verduras  e frutas vai para a padaria, e os resíduos gerados pela padaria voltam para a fazenda, servindo para a fertilização da terra. O nosso lema é aproveitar e reaproveitar”, conta  Edvaldo.

Reciclagem responsável e lucrável

Dono de um bar há 25 anos, em João Pinheiro, no Norte de Minas, Célio Mendes, não sabia o que fazer com os cascos de vidros de refrigerantes e cervejas, até que a própria indústria se interessou em comprar as garrafas. Foi assim que ele criou a Arga Vidros, empresa de venda e compra de vasilhames.

Porém, algumas garrafas de bebidas destiladas não eram vendidas. Foi assim que Célio criou, há cerca de dois anos uma máquina de moer vidros. Depois de moído, o material é misturado com areia e cimento e se transforma em tijolos, blocos, artesanatos, manilhas e artigos de decoração para jardinagem. “Descobri a destinação correta para os vidros que eram descartados e ainda um bom negócio”, conta o empreendedor.   

 



Assessoria de Imprensa do Sebrae Minas

(31) 3379-9275 / 9276


Programa Sebrae Mais potencializa negócios


Postado em 22/10/2014

Sebrae Nacional -

Salvador - A empresária Rogéria de Alencar criou em Salvador, na Bahia, uma empresa que lucra com o serviço de manobristas. Ela percebeu que o Valet, como é conhecido o motorista que estaciona veículos em estabelecimentos comerciais, era uma tendência nas grandes cidades. Ela começou o empreendimento em 2005, só com locação de veículos, e depois apostou no serviço de manobristas. Desde 2009, a empresária tem apoio do Sebrae, por meio do Programa Sebrae Mais, voltado para empresas já consolidadas no mercado, com no mínimo dois anos de atividades e com mais de nove funcionários.

Após o programa do Sebrae, a empresária Rogéria de Alencar melhorou a rentabilidade do negócio e o faturamento dobrou: de R$ 200 mil por mês, passou para quase R$ 400 mil. Os preços foram reajustados e os funcionários treinados. Hoje, o trabalho com o Valet corresponde a 80% do faturamento da empresa. Pelo menos 20 clientes da região, como hotéis e casas de shows usam o serviço.

A empresária Cátia Oliveira, por exemplo, dona de um restaurante em Salvador, contratou o serviço de manobristas por R$ 12 mil por mês e não repassa o valor para o cliente. O restaurante é famoso por oferecer moquecas na panela de barro e recebe até 2.300 veículos por mês. Na Bahia, o Programa já atendeu mais de 5.500 empresas.

Estes casos serão apresentados no Programa Pequenas Empresas & Grandes Negócios deste domingo (26), às 7h30, na TV Globo, com reapresentações na Globo News, às 8h30, e no Canal Futura, segunda-feira (27), às 16h30, terça-feira (28), às 5h, e sábado (31), às 15h.

 

CONTATOS:

SEBRAE

Central de Relacionamento: 0800-570-0800

www.sebrae.com.br

 

NATURAL RENT A CAR

Contato – Empresária: Rogéria Viana de Alencar - Telefone: (71) 3232-2424

Av. Otávio Mangabeira, 7709 – Salas: A1 a A4 - Praia do Corsário

Salvador/BA - CEP: 41740-000

www.naturalcar.com.br

 

KI MUKEKA

Contato – Empresária: Cátia Silene do Amaral

Av. Otávio Mangabeira n°136- Jardim Armação - Salvador/BA – CEP: 41750-240

Telefone: (71) 3461-7037 / (71) 3461-7333

www.kimukeka.com.br       


Estão abertas as inscrições para o Prêmio Nacional de Inovação


Postado em 23/10/2014

Sebrae Nacional -

Começaram nesta quarta-feira, 22 de outubro, e vão até 7 de dezembro as inscrições para o Prêmio Nacional de Inovação Edição 2014/2015. Podem concorrer empresas de micro, pequeno, médio e grande portes de todo o Brasil que disputarão R$ 900 mil pré-aprovados no Edital SENAI SESI de Inovação, além de missão técnica internacional e cursos de educação executiva.  Os projetos devem ser inscritos exclusivamente pela internet, no site do Prêmio. Os vencedores serão anunciados em cerimônia em maio de 2015, em São Paulo.

O Prêmio Nacional de Inovação é uma iniciativa da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI), realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Movimento Brasil Competitivo (MBC).   “A capacidade de inovar é fundamental para mostrar como a inovação eleva os lucros e se converte em crescimento econômico e mais oportunidades para o país”, destaca a diretora de Inovação da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Gianna Sagázio.

_OLHO_

 

Para o presidente do Conselho Superior do MBC, Elcio Anibal de Lucca, o Prêmio consolida um movimento em busca da inovação, ativo chave para gerar competitividade. “As empresas que desejam se manter competitivas no mercado devem ser capazes de se reinventar à velocidade demandada pelos novos anseios e necessidades da população. Por isso a importância de reconhecer iniciativas que valorizam ideias e soluções criativas no setor industrial brasileiro”, afirma Lucca.

“Até pouco tempo, havia o mito de que investir em tecnologia era algo caro e restrito a grandes empreendimentos. Buscamos desmistificar a concepção que alguns empreendedores têm de que inovação exige altos recursos ou que se limita a equipamentos tecnológicos. A inovação em processos de gestão ou controle de desperdício pode levar, por exemplo, a uma maior produtividade e redução de custos”, completa o presidente do Sebrae, Luiz Barretto.

Nas três últimas edições de Prêmio, houve expressivo crescimento do número de projetos inscritos – prova de que a inovação se consolida como principal instrumento de conquista de novos mercados. Em 2011, foram 427. Em 2012, 981. Já no ano passado, foi registrado um recorde: 2022 inscrições.

Categorias – O Prêmio Nacional de Inovação  tem o apoio do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). As empresas podem concorrer em quatro categorias.

•    Gestão da Inovação – busca reconhecer métodos, técnicas e ferramentas de gestão da inovação que estabeleçam um ambiente propício ao desenvolvimento de projetos inovadores.
•    Inovação Tecnológica – valoriza projetos de produtos ou processos que contribuem para o aumento dos níveis de competitividade da empresa.
•    Inovação em Modelo de Negócio – premia a forma como projetos são levados ao mercado a fim de aprimoramento de modelos de negócio capazes de gerar impactos na empresa.
•    Agente Local de Inovação – direcionada às micro e pequenas empresas atendidas pelo Programa Agentes Locais de Inovação (ALI) do Sebrae nos setores de indústria, comércio e serviço.


Informações à Imprensa
Gerência de Jornalismo da CNI
(61) 3317-9578 / 8917 / 9825

Assessoria de Imprensa do Sebrae Nacional
(61) 2104-2768 / 2770



Tropas federais atuarão em 13 municípios do Ceará


Postado em 24/10/2014

No segundo turno das eleições neste domingo (26), 13 municípios do Ceará receberão tropas federais. Nesta sexta-feira (24), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) confirmou que os municípios de Guaiuba e Itaitinga também vão ter reforço do Exército. Antes disso, o Tribunal Superior Eleitoral havia autorizado a presença de 2.500 militares em onze cidades cearenses.

A capital Fortaleza é um dos municípios que terá a presença das forças federais. As outras cidades são Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Sobral, Crateús, Aracati, Caucaia, Maracanaú, Maranguape e Pacatuba.

A dona de casa, Tânia Maciel, de 64 anos, acha que a presença dos militares nas ruas vai ajudar para que a votação ocorra com mais tranquilidade. ?É uma boa, né? Desde que seja para a segurança do povo.?

A comerciante Dalva Monteiro, 48 anos, defende que o tempo de presença das tropas federais seja estendido em Fortaleza. ?O bom seria que eles fizessem isso todos os dias, porque aqui em Fortaleza nós não temos segurança. Há nove anos eu trabalho nessa banca [de revistas], e a pelo menos dois, todas as vezes que passa alguém de bicicleta ou moto eu fico morrendo de medo. Ao invés de me sentir mais segura no meu trabalho, eu estou é regredindo?, queixa-se a comerciante.

O reforço na segurança das eleições no Ceará, com a presença do Exército, foi um pedido do procurador regional Eleitoral, Rômulo Conrado. De acordo com o Ministério Público do estado, houve a suspeita de repressão ao trabalho da Polícia Militar no primeiro turno, dia 5 de outubro. Segundo a investigação, as viaturas da PM ficaram paradas em alguns pontos das cidades, aguardando comando dos órgãos de segurança. Isso teria impedido a ronda dos policiais nos locais próximos à votação.

Além dos militares do Exército, 10,2 mil policiais civil e militares também vão trabalhar no Ceará no domingo.


 

Editor Fábio Massalli


Exposição na Biblioteca Nacional destaca o trabalho de ilustradores brasileiros


Postado em 24/10/2014

 Incontáveis Linhas, Incontáveis Histórias, que mostra ilustrações brasileiras originais de 55 autores na Biblioteca Nacional. Na foto, obras de Jean-Baptiste Debret (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Exposição Brasil: Incontáveis Linhas, Incontáveis Histórias, que mostra ilustrações brasileiras originais de 55 autores na Biblioteca Nacional. Na foto, obras de Jean-Baptiste Debret /Fernando Frazão/Agência Brasil

Um panorama da ilustração brasileira por alguns de seus mais destacados artistas pode ser visto até dezembro na exposição Brasil: Incontáveis Linhas, Incontáveis Histórias, aberta no início da noite de hoje (24), no Espaço Cultural Eliseu Visconti da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. Ao lado das obras do rico acervo da  própria biblioteca, como os livros de Debret e Rugendas, que influenciaram a arte da ilustração no Brasil, integram a mostra o trabalho de 55 ilustradores contemporâneos de livros para crianças e jovens.

A exposição tem curadoria da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) e da Fundação Biblioteca Nacional (FBN). O trabalho de seleção contou com o olhar especializado dos professores Graça Lima, da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Alexandre Guedes, do curso de Belas Artes da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ).

 Incontáveis Linhas, Incontáveis Histórias, que mostra ilustrações brasileiras originais de 55 autores na Biblioteca Nacional (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Abertura da exposição Brasil: Incontáveis Linhas, Incontáveis Histórias, que mostra ilustrações brasileiras originais de 55 autores na Biblioteca Nacional /Fernando Frazão/Agência Brasil

As ilustrações contemporâneas que fazem parte da exposição tinham sido selecionadas originalmente para a 51ª Feira do Livro para Crianças de Bolonha, na Itália, ocorrida em março deste ano. O Brasil foi o país homenageado nessa edição da feira.

Durante o evento, o artista brasileiro Roger Melo foi agraciado com o Prêmio Hans Christian Andersen, concedido pela primeira vez a um ilustrador latino-americano. Duas autoras brasileiras, Lygia Bojunga, em 1982, e Ana Maria Machado, em 2000, já haviam recebido o prêmio, mas na categoria escritor.

Por iniciativa dos ministérios da Cultura e das Relações Exteriores, a exposição foi apresentada também nas cidades de Moscou e São Petersburgo, na Rússia. No último mês de agosto, foi levada à 23ª Bienal Internacional do Livro, em São Paulo.

Além de Roger Melo, o outro grande homenageado na mostra é Ziraldo,  autor cujos livros estão presentes há décadas no imaginário de várias gerações de brasileiros. Paralelamente à exposição, a Biblioteca Nacional pretende fazer, ao longo dos próximos dois meses, mesas redondas com ilustradores, autores e especialistas em literatura infantil e juvenil brasileira.

 Incontáveis Linhas, Incontáveis Histórias, que mostra ilustrações brasileiras originais de 55 autores na Biblioteca Nacional. Na foto, ilustrações da revista O Cruzeiro (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Exposição Brasil: Incontáveis Linhas, Incontáveis Histórias, que mostra ilustrações brasileiras originais de 55 autores na Biblioteca Nacional. Na foto, ilustrações da revista O Cruzeiro /Fernando Frazão/Agência Brasil

Brasil: Incontáveis linhas, Incontáveis Histórias pode ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados, das 10h às 14h. O Espaço Cultural Eliseu Visconti da Biblioteca Nacional fica Rua México, s/n, no centro do Rio.

Editor Aécio Amado


Projeto de inclusão digital do Rio ganha prêmio internacional


Postado em 24/10/2014

O projeto Fábrica Verde, desenvolvido pela Secretaria Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro em comunidades do estado, recebeu, em Paris, na França, a certificação Climate Actions Leader, concedida pela organização não governamental (ONG) R20 ? Regions Climate Action, criada pelo ator e ex-governador da Califórnia, Arnold Schwarzenegger, e outros líderes mundiais e que é apoiada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

O Fábrica Verde reduz a geração do lixo eletrônico e faz a capacitação profissional de jovens na montagem e recuperação de computadores a partir de peças e equipamentos descartados. Os computadores que são reformados ou montados pelos alunos, com peças dos equipamentos antigos, são doados para telecentros e para pesquisa escolar dos moradores das comunidades. Na avaliação do secretário de Estado do Ambiente, Carlos Portinho, o projeto contribui com a economia verde, estimulada pela R20, e qualifica jovens em situação de vulnerabilidade, indicando, para eles, um caminho com geração de renda.

Em 2014, o Fábrica Verde passou de cinco para 14 núcleos na capital, na Baixada Fluminense e no interior do Rio de Janeiro e formou 1.097 pessoas. A expectativa é que, até o fim do ano, mais 510 alunos completem os cursos. Em dois anos, o maior núcleo do projeto, que é o da Rocinha, formou 620 pessoas e reaproveitou 660 micros que seriam descartados.

Hoje (24), o Portinho dividiu a premiação com os integrantes dos 14 núcleos em uma cerimônia para celebrar a certificação na sede do Projeto EcoModa Rocinha. Cada um deles recebeu uma réplica do certificado R20. O secretário espera que agora, com o reconhecimento internacional, o projeto possa atrair grandes empresas. ?Que a gente possa buscar a parceria de empresas do ramo de telecomunicações, de informática, uma Google, uma Apple ou uma Microsoft. Qualquer empresa que queira associar a sua marca a um projeto que tem um reconhecimento internacional de sustentabilidade. O projeto Fábrica Verde não só contribui na reciclagem nos equipamentos de informática, como os jovens que participam têm aulas de informática e de montagem e saem capacitados e os produtos que eles constroem podem atender às comunidades?, destacou.

A coordenadora da Fábrica Verde Rocinha, Cíntia Porto, disse que estava feliz em saber que o projeto agora é reconhecido internacionalmente. ?A Fábrica Verde Rocinha tem dois anos e meio e estamos formando a oitava turma. Já passaram por aqui 620 alunos. Com o projeto conseguimos mudar muita coisa na comunidade, além das aulas de montagem e manutenção na fábrica, a gente tem vários parceiros que trabalham com a gente para oferecer bem-estar na comunidade?, disse.

Na avaliação do coordenador da Fábrica Verde da Chacrinha,  Alisson Lima de Souza, é importante também levar em consideração a questão ambiental. ?Já trabalhamos com mais de 400 alunos, todos do entorno da comunidade. Estamos felizes porque conseguimos trabalhar com esses alunos e dar oportunidade para eles terem uma profissão. Em contrapartida, o projeto também trabalha com a questão ambiental. Temos a preocupação de passar não só as questões técnicas, como as ambientais?, completou.

Agora o projeto Fábrica Verde vai estender a inclusão digital para pessoas da terceira idade. Já foram abertas as inscrições para aulas de informática no núcleo no Morro da Chacrinha, na zona norte do Rio.

Editor Fábio Massalli