Na região de Ashburn - Virginia temos (℃) Umid(%) Veloc.Vento(m/s °) | Sol: nasc 21:00h e pôr 21:00h | 26/03/2015 22:54
Utilize a busca abaixo para encontrar uma empresa pelo nome, setor ou produto.
Em todo o País, Aguarde, carregando...
    Ex.: coaching, ou transporte, ou madeira, ou aço, ou o nome da empresa como: Mais Sucesso e Genoma, ou mesmo o nome do profissional como Cristiane.

Páscoa incrementa lucro de empreendedores


Postado em 24/03/2015

Sebrae Nacional -

 

 Recife - Ao longo de um ano, os empresários passam por diversos períodos sazonais em seus negócios. São datas como Dia das Mães, São João e Natal, nas quais as pessoas tendem a comprar mais e que se mostram fortes oportunidades para quem deseja empreender ou incrementar os lucros. A Páscoa é um desses períodos de boas vendas para os empresários, sendo os ovos de chocolate os produtos mais produtores. Mas outras oportunidades também podem ser exploradas aproveitando-se o período.

De acordo com o analista de orientação empresarial do Sebrae em Pernambuco Valdir Cavalcanti, é possível aproveitar as oportunidades de negócios, tanto no aspecto religioso da data como também no festivo. “Vai desde o oferecimento de pacotes de entretenimento ou descanso no feriado a oportunidades de serviços para se usufruir no momento religioso”, afirma Valdir, ressaltando que o turismo é uma forte oportunidade de negócio para o período.

Outro ponto que pode ser explorado tem relação com a porção gastronômica da celebração. “Da mesma forma que existe a ceia de Natal, também existe a refeição de Páscoa. Pode-se fazer isso com a criação de pratos diferenciados de peixe por encomenda”, indica. A criatividade também deve ser ingrediente de quem fabrica ovos de chocolate. “É preciso trabalhar com ovos chocolate e bombons de forma artesanal e com criatividade e ter um diferencial para se destacar das grandes empresas que já atuam nessa área”, diz Valdir Cavalcanti. 

O analista lembra ainda que é importante que o empreendedor faça a análise de viabilidade da proposta do negócio, tarefa para a qual pode contar com o apoio do Sebrae em Pernambuco. Por meio da entidade, ele pode ainda planejar melhor seu negócio, fazer uma análise de mercado, saber quanto será preciso investir e estar atento à profissionalização de seu atendimento, entre outros pontos importantes para ter sucesso em seu empreendimento.

 

Mais informações:
Sebrae em Pernambuco
Janete Lopes
(81) 2101.8499
pe@asn.com.br
www.pe.agenciasebrae.com.br

 


Mulheres empreendem mais em casa do que homens


Postado em 25/03/2015

Sebrae Nacional -

Brasília - Empreender na própria casa tem sido a opção de muitas mulheres. De acordo com o Anuário das Mulheres Empreendedoras e Trabalhadoras das Micro e Pequenas Empresas, realizado pelo Sebrae em parceria com o Dieese,  34% das mulheres que têm uma empresa trabalham em suas residências. Entre os homens, essa opção é feita por apenas 6% dos donos de negócios, número cinco vezes inferior.

De acordo com o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, muitas mulheres optam por trabalhar em casa porque o empreendedorismo permite que elas trabalhem e cuidem da família ao mesmo tempo. “A cada 100 empreendedoras, 68 têm ao menos um filho e 92 fazem, também, os afazeres domésticos, que adicionam à jornada, em média, 24 horas por semana. Por isso, para elas, é mais fácil empreender na própria casa. Ao mesmo tempo em que são empresárias, são mães presentes”, afirma Barretto.

Mas para que a mulher tenha sucesso no empreendimento é preciso encontrar equilíbrio para não misturar contas e afazeres domésticos com as despesas e lucros e atividades da empresa. Mesmo operando de casa, o empreendedor deve ter em mente que seu êxito depende de muito esforço, planejamento, disciplina, definição concreta de metas e objetivos. “Não é por trabalhar em casa que o empreendedor dispõe de tempo livre para fazer o que quiser, na hora em que bem entender”, destaca Barretto.  

O ideal é que a empreendedora que trabalha na própria residência estabeleça horários e rotinas a serem rigorosamente cumpridos. Ela tem de estar atenta à qualidade do produto, aos prazos de entrega e ao atendimento à sua clientela com todo profissionalismo, da mesma maneira que alguém que toca seu negócio de um escritório ou de uma loja. Se possível, é recomendado a separação dos ambientes doméstico e empresarial, ou seja, ter um cômodo da casa disponível para a empresa, de preferência com uma estrutura própria.

Há uma diversidade de negócios que se adaptam melhor ao formato home office, como salões de beleza, artesanato, corte e costura, reforço escolar, escritórios de contabilidade, publicidade, computação gráfica, consultoria e advocacia e venda de cosméticos. Antes de montar a empresa, é importante consultar os órgãos municipais e estaduais, como a prefeitura, vigilância sanitária e corpo de bombeiros. Existem regras municipais específicas para funcionamento de uma empresa em área residencial e que definem as atividades que podem ser realizadas nesse contexto. 

Mais informações:
Assessoria de Imprensa Sebrae
(61) 3243-7851
(61) 3243-7852
(61) 2104-2768
(61) 2104-2770
imprensa@sebrae.com.br


Da crise vêm as oportunidades


Postado em 26/03/2015

Sebrae Nacional -

Brasília - O baixo crescimento da economia brasileira assustou os empresários em 2014, mas apesar disso foram criados mais de um milhão de negócios no país no ano passado - os Microempreendedores Individuais (MEI) decidiram se formalizar. A informação é de um estudo divulgado pelo Sebrae, que aponta que a tendência de formalização de negócios deve continuar em 2015.

A pesquisa foi feita com base em dados do Banco Central, do Fundo Monetário Internacional (FMI) e da Receita Federal. Ela também indica que alguns setores da economia prometem ser lucrativos este ano, apesar do ambiente menos favorável que nos últimos tempos. 

Segundo o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, as atividades mais promissoras estão ligadas às necessidades básicas da população. Entre elas estão: alimentação (comércio de alimentos e preparo para consumo familiar); construção (pequenas empresas de edificações e obras de reparação); instalações (elétrica, sanitária, hidráulica e gás), estética (cabeleireiros, atividades de estética/beleza, comércio de cosméticos); reparações (veículos, computadores e equipamentos de informática); bijuterias; reciclagem; e vestuário (comércio de roupas e confecções).

A empresária Fernanda Gomes tem uma pequena confecção de roupas femininas, em Brasília, há cinco anos. Ela é um exemplo de que pode se beneficiar nos negócios em 2015. Fernanda vende cerca de 500 peças por mês e espera faturar ainda mais com a criação de um site. Para Luiz Barretto, o comércio virtual também é uma tendência para 2015. Mas ele alerta: mesmo em um setor com mais chances de crescimento, é preciso planejar e se capacitar.

O PEGN vai ao ar neste domingo (29), às 7h30, com reapresentações na Globo News, às 8h30, e no Canal Futura na segunda-feira (30), às 16h30, na terça-feira (31), às 15h, e ao sábado (4), às 15h.

 

Mais informações:
Assessoria de Imprensa Sebrae
(61) 3243-7851
(61) 3243-7852
(61) 2104-2768
(61) 2104-2770
imprensa@sebrae.com.br



Juiz afastado do caso Eike vai responder a procedimentos administrativos


Postado em 26/03/2015

O juiz federal Flávio Roberto de Souza, afastado do processo que envolve o empresário Eike Batista, responderá a cinco procedimentos administrativos disciplinares no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF). A decisão do Órgão Especial do TRF, em sessão ocorrida hoje (26), foi baseada nas sindicâncias conduzidas pela Corregedoria Regional da Justiça Federal e na correição extraordinária feita na vara em que ele era titular.

O primeiro procedimento é referente ao uso do carro e do piano de Eike. O segundo, sobre declarações do magistrado de que o uso de bens apreendidos por juízes seria prática normal. O terceiro, julgará o desvio de US$ 150 mil e de 108 mil euros apreendidos de um réu. O quarto, é relativo à acusação de apropriação de valores pertencentes a Eike. O quinto procedimento é referente ao desvio de dinheiro da venda antecipada de bens apreendidos em outra ação penal.

O Órgão Especial também confirmou o afastamento do juiz de suas atividades, sem prazo definido. O advogado do magistrado sustentou, durante a sessão, que Flávio Roberto faria jus à aposentadoria por invalidez, devido a problemas psiquiátricos. As informações foram divulgadas em nota pela assessoria de comunicação do TRF.

Editor Aécio Amado


Cardozo diz que irá à CPI do HSBC e defende investigações fiscais e criminais


Postado em 26/03/2015

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse hoje (26), no Rio de Janeiro, que atenderá ao convite feito por integrantes da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) criada para investigar possíveis crimes financeiros e fiscais a partir de contas abertas por brasileiros no Banco HSBC da Suíca, conforme informações vazadas e publicadas por jornalistas de diversos países, inclusive do Brasil.

"Jamais me furtarei a atender a um convite do Congresso Nacional. Irei sempre que convidado, a quaisquer comissões ou mesmo ao plenário. É um dever do governante prestar contas ao Poder Legislativo. No caso do HSBC, existiriam cerca de 8 mil brasileiros, segundo a imprensa, que teriam contas no HSBC da Suíça. Nós não sabemos se são legais ou ilegais, ou que contas são", disse Cardozo, após reunião com o governador do Rio, Luiz Fernando Pesão, para tratar do combate a grupos de milicianos e traficantes que têm invadido conjuntos residenciais do Programa Minha Casa, Minha Vida.

Cardozo frisou que o governo brasileiro requisitou informações oficiais dos governos francês e suíço sobre essas contas bancárias. Ele disse que diante da possibilidade de existirem brasileiros com contas ilegais em um banco estrangeiro, sem a devida declaração do Imposto de Renda, "entramos em contato com o governo francês, uma vez que esses dados saíram da Suíça e foram para a França, bem como entramos em contato com a Suíça. Há uma firme disposição do governo francês de, com rapidez, atender ao pedido, e que os dados sejam encaminhados ao Brasil".

O ministro explicou que tão logo as informações cheguem, elas serão confrontadas com as declarações dos contribuintes, para checar sua legalidade. "Assim que esses dados chegarem, serão encaminhados à Polícia Federal e à Receita Federal para que façam o exame dos nomes, a confrontação das respectivas declarações de rendimento, para verificar se as contas são legais ou ilegais. No caso de existirem ilegalidades, seguramente teremos uma parte que será apurada pela Receita Federal, por força dos delitos fazendários, e outra parte criminal, que poderia, em tese, envolver crimes de evasão de receita e lavagem de dinheiro."

Cardozo defendeu que haja celeridade nas investigações, e disse que "o governo tem total interesse, o dever, de fazer o possível para obter esses dados e fazer a investigação. Se há indício de crimes, cabe ao governo apurar e agir com a máxima rapidez para que isso seja esclarecido".

Ele comentou também que a Operação Zelotes, deflagrada hoje contra fraudadores da Receita Federal, incluindo integrantes do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) ? o antigo Conselho de Contribuintes da Receita, vinculado ao Ministério da Fazenda ? e escritórios de advocacia e de contabilidade, "foi uma operação da Polícia Federal (PF), com absoluta autonomia. Esta é uma etapa desta investigação".

Quanto aos crimes praticados por milicianos e traficantes contra moradores do Minha Casa, Minha Vida, o ministro frisou que haverá uma operação conjunta, com participação da PF e das polícias do Rio. O objetivo é identificar e prender os criminosos que em diversos casos têm aterrorizado moradores dos conjuntos habitacionais, que são obrigados a deixar os imóveis, sob ameaça de morte.

Editor Stênio Ribeiro


Juiz concede dez dias para empreiteira apresentar contrato com empresa de Dirceu


Postado em 26/03/2015

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela investigação da Operação Lava Jato na primeira instância, concedeu prazo de dez dias para que a empreiteira Camargo Corrêa apresente os contratos de consultoria com a empresa JD Assessoria, do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu. A Justiça pretende comprovar se os serviços foram prestados pela empresa de Dirceu.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a empresa de Dirceu recebeu "valores expressivos" de empreiteiras investigadas na operação. A pedido do MPF, a Justiça Federal em Curitiba quebrou o sigilo bancário e fiscal da JD Assessoria e pessoal de Dirceu e Luiz Eduardo de Oliveira e Silva, irmão e sócio do ex-ministro.

Em janeiro, quando a quebra foi decretada, a assessoria de Dirceu disse que os contratos com empreiteiras foram assinados para assessorá-las em negócios fora do país. A JD também disse que enviou ao juiz Sérgio Moro a declaração de renda apresentada à Receita Federal, com detalhamento sobre impostos recolhidos e despesas operacionais.

Editor Fábio Massalli